Logo do Centro Cultural Bom Jardim

EXTENSIVO EM MÚSICA DO CCBJ DIVULGA PROFESSORES DOS MÓDULOS FINAIS CURSO

17/03/2021

Os professores e professoras estão ministrando os módulos finais do curso Extensivo em música da Escola de Cultura e Artes do CCBJ durante o mês de março.

O Curso Extensivo em Música conta com um total de 8 professores, responsáveis por realizar os ciclos formativos na finalização do curso durante o mês de março. O extensivo encontra-se em fase de finalização e esta ação formativa é desenvolvida pela Escola de Cultura e Artes do Centro Cultural Bom Jardim (ECA/CCBJ) com vínculo institucional da Universidade Federal do Ceará/UFC.   

Neste ano de 2021 novos ciclos e módulos foram desenvolvidos com acompanhamento e orientação pedagógica de professores(as),  artistas,  pesquisadoras(es) e coletivos com experiências imersivas na área da música; metodologias e didáticas; novos caminhos na criação artística  e de mobilização cultural.  Paralelamente, a turma realiza acompanhamentos das atividades educativas dos cursos básicos do programa de música, desenvolvendo uma interface de comunicação destas ações formativas em sintonia de um acompanhamento de estágios supervisionados junto a professores e orientações pedagógicas.

Como extensão de aprendizagem e de atividade de conclusão deste percurso formativo que se iniciou em agosto de 2019,  os alunos(as)(es) preparam a programação da I Semana de Educação Musical do Centro Cultural Bom Jardim. Um espaço formativo composto por encontros musicais, oficinas, rodas de conversa e vivências formativas com programação totalmente gratuita e em ambiente virtual ( adotando as medidas de biossegurança e de prevenção sanitária). Este evento tem o objetivo de ampliar as possibilidades de uma nova conjuntura na arte-educação em música (social, política, transformadora e criativa). Para saber mais informações, visitem o Instagram do evento: @semanamusicalccbj

Confira abaixo um pouco mais sobre os professores envolvidos nos processos de finalização do extensivo em música e sobre os módulos que estão sendo ministrados:

Minibio + Módulos Professores(as) Extensivo #2021 

Curso Extensivo em Música do Centro Cultural Bom Jardim

Módulo: Informatização Musical e suas Tecnologias (34h/aula)

Estudos e sistemáticas de práticas de conjunto em ambiente virtual e remoto. Nas aulas serão abordados exercícios de harmonia, técnicas de gravação, formas e utilização de softwares livres e acoplados para uma prática de conjunto. Softwares para criação musical  e conteúdos em tecnologias musicais. Estudos de texturas, timbres, harmonização, estudos e atuação profissional em formatos solos, duos, trios e quartetos. Sistemas  midi; analógicos; digitais e formas remotas para gravação.

Prof. Herlon Robson (Fortaleza, Ceará)

Pioneiro no uso de sintetizadores, samplers e tecnologia aplicada à música no Ceará, Hérlon Robson, compositor e multi-instrumentista, de formação erudita em piano (pelo Conservatório de Música Alberto Nepomuceno), teve seu primeiro álbum lançado, ainda em vinil, em 1984, pela CID Records.  Nos anos 90 iniciou suas atividades como arranjador e produtor musical, bem como na composição e produção de trilhas sonoras para cinema e TV, recebendo prêmios e destaques em vários festivais de cinema ao redor do Brasil e exterior pelos filmes “Vida Maria” (Dir. Marcio Ramos); “O som do tempo”, “Mãe e Filha”, “Clarisse” (Dir. Petrus Cariri); “Cine Holliudy – 1 e 2”, “O Shaolin do Sertão” (Dir. Halder Gomes), “Os Pobres Diabos” (Dir.Rosemberg Cariri), “Bate Coração” (Dir. Glauber Paiva), “Cabeça deNêgo” (Dir. Deo Cardoso) entre outros. Possui parcerias com a GLOBO FILMES, PARAMOUNT PICTURES, TELECINE, PARIS FILMES e demais produtoras multi-nacionais de cinema, bem como a NETFLIX, na produção de trilhas sonoras de conteúdo para streaming.

——-

Módulo: Educação Musical na Prática (24h/aula)

Educação musical em diferentes espaços e tempos. Experiências práticas e fundamentação teórico- metodológica para a ação docente em contextos diversos. Vivências Musicais. Relação com as demais áreas do conhecimento. Introdução e reflexão sobre educação musical, música e cultura.Música na américa portuguesa e a missão jesuítica como primeiros registros de educação musical no Brasil. Primeira e segunda geração de educadores musicais, Villa Lobos e o Canto Orfeônico no Brasil. Projeto sociais: música, cidadania e ressignificação de saberes. Currículo, saberes populares, espaços formais e informais de ensino e processos decoloniais na educação musical brasileira.

—-

Módulo: Imersão de Estudos Temáticos (20h/aula)

Estudo dos conteúdos e técnicas de pesquisa científica nas áreas da musicologia, composição, práticas interpretativas, educação musical e etnomusicologia.Reflexão sobre prática musical como atividade estética, forma de expressão poética e criativa, de maneira a revelar a utilidade da pesquisa para a área de Música, contribuindo para uma prática de natureza estética como a prática musical, em que o próprio fazer estético e ensinar música é também se configuram como ato de pesquisar.

Prof. Pablo Garcia (Fortaleza, Ceará)

Professor Assistente de teoria da música, violão, etnomusicologia e prática de conjunto no Curso de Música da Universidade Estadual do Ceará. Mestre em música pelo programa de pós-graduação Música em Contexto na Universidade de Brasília, defendendo dissertação sobre tradição e inovação, elementos do jazz e choro e os processos de mistura entre gêneros musicais na obra de K-ximbinho (2009). Possui graduação no programa de Bacharelado Geral em Música pela Universidade Estadual do Ceará (2002). Foi Coordenador do Grupo de Choro da UECE pelo programa de bolsas de iniciação artística ligada à PROEX. Integra o Grupo de Pesquisa em Música, Cultura e Educação Musical da Universidade Estadual do Ceará, nas linhas Etnomusicologia e Antropologia da Música e Educação Musical e Formação docente na Licenciatura em Música, certificados pelo CNPQ. 

——-

Módulo: Instrumento Específico Teclado I (23h/aula)

Conhecimento sobre o instrumento teclado em aspectos teóricos, técnicos e criativos com o intuito de capacitar iniciantes a desenvolver atividades de performance. Estudos de repertórios, acessos a sistemas de softwares livres; repertório música urbana e erudita.

Prof. Roberta Kaya nasceu no bairro Sapiranga em Fortaleza-Ce. Filha de empregada doméstica e pai pedreiro, tem duas irmãs e um irmão, é a única até hoje a ingressar em uma universidade pública, sendo estudante de música na Universidade estadual do Ceará.  Roberta Kaya idealiza experiências sonoras empíricas, surgidas a partir dos anseios cotidianos de uma mulher negra periférica musicista. Os processos de criação perpassam pelos ruídos do cotidiano urbano, fruto da migração da artista que vive em zona de periferia, a fim de vivenciar culturas versadas em bairros conhecidamente privilegiados pela profusão cultural de Fortaleza. 

——-

Módulo: Instrumento Específico Teclado II (20h/aula)

Ampliar o conhecimento sobre o instrumento teclado em aspectos teóricos, técnicos e criativos com o intuito de capacitar iniciantes a desenvolver atividades de performance instrumental para atuação no mercado de trabalho e atender a cadeia produtiva cultural local.

Módulo: Harmonia Musical II (20h/aula)

Noções gerais de instrumentos de harmonia a partir dos fundamentos musicais: melodia, harmonia e ritmo.  Conhecimento do teclado, técnicas de execução e interpretação para atuação solo ou em grupo. Estudo e execução de repertório iniciante.

Prof. Ayrton Pessoa (Fortaleza, Ceará): Pianista, compositor, artista sonoro, graduado em Filosofia (UECE) e mestre em Artes (UFC). Atua principalmente como instrumentista, produtor-compositor de trilhas e como professor. Integrante do grupo musical Argonautas, publicou também dois álbuns solo: Manual Prático da Saudade (2012) e Horizonte Aparente (2019). Como formador, tem experiência em aulas instrumentais de piano, violão, teclado, musicalização e em cursos e oficinas sobre trilha sonora, produção e composição musical. É professor de piano na Escola Waldorf Micael desde 2018.

——-

Módulo: Música Nordestina |  influências, Ritmos, Transformações ao longo da História (20h/aula)

Limites, trocas e interações entre as músicas de tradição oral, escrita e gravada, no Brasil e especialmente no Nordeste. Linhas gerais que caracterizam os diversos gêneros musicais tradicionalmente cultivados no Nordeste e eventualmente absorvidos pela indústria cultural durante as três primeiras décadas do século XX: modinha, lundu, coco, embolada, samba, toada, frevo e baião. Obras, compositores e intérpretes nordestinos de maior relevância estética e histórica no período entre 1902 e 1930. Gravações (discos de 78 Rpm), fotografias, matérias e anúncios de jornal relacionados às músicas compostas e interpretadas por artistas nordestinos. Recepção dos músicos e gêneros nordestinos pelo público, imprensa e gravadoras do Sudeste. Influências mútuas e trocas culturais entre artistas do Nordeste e do Sudeste.

Prof. Rodrigo Caçapa (Recife, Pernambuco):  Compositor, arranjador, produtor musical e violeiro, nascido no Recife (PE) em 1975 e radicado em São Paulo (SP) desde 2014. Lançou o seu primeiro disco solo, “Elefantes na Rua Nova”, em 2011, sob patrocínio da Petrobras, e com repertório composto a partir de Bolsa de Incentivo à Criação Artística, concedida pela Funarte em 2008. Ao longo de mais de 20 anos de atividade profissional, colaborou criativamente – em discos e shows – com artistas muito diversos: os pernambucanos Alessandra Leão, Siba, Azougue Vapor, Siba e a Fuloresta, Nação Zumbi, Samba de Coco Raízes de Arcoverde, Bongar, Luiz Paixão, Biu Roque, SaGrama, Arabiando, Tiné, Chão e Chinelo, Maciel Salu e O Terno do Terreiro, Mestre Salustiano, Isaar, Hugo Linns, Walter Areia, Adelmo Arcoverde, Jacinto Silva, Silvério Pessoa e Felipe S.; os paulistas Iara Rennó, Renata Rosa, Kiko Dinucci e Thiago França.

——-

Módulo: Instrumento Específico Violão I 

Estudo de fundamentos (práticos e teóricos) essenciais em música direcionados ao violão. Aspectos básicos e intermediários ligados à harmonia e melodia. Aspectos básicos e intermediários da técnica de violão: postura, fundamentos de mão esquerda e direita, sonoridade e interpretação. Acordes, ritmos e levadas populares. Apreciação de obras musicais de diferentes gêneros e estilos brasileiros. Introdução à linguagem musical. 

Prof.  Theresa Rachel

Nascida em Fortaleza, a cearense Theresa Rachel Viana teve contato com a música desde muito cedo, já que em sua família sempre houveram músicos como violonista, integrou o grupo composto por seis mulheres que revisitam a obra da artista Rosa Passos. O show aconteceu em 2017 e fez parte da programação do Jazz em Cena, projeto residente no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB), em Fortaleza, e capitaneado por Dalwton Moura.

Em abril de 2018 e 2019, teve o prazer de participar das bandas que acompanharam diversos artistas em homenagem ao aniversário de Fortaleza, como Fausto Nilo, Waldonys e Amelinha. Na primeira vez sob a direção musical de Tarcísio Sardinha, em homenagem a

Dominguinhos, Theresa Rachel pôde vivenciar preciosas experiências profissionais em eventos e em estúdio, gravando violão em CDs e tendo contato com grandes músicos e artistas como Dominguinhos, Tarcísio Sardinha, Nonato Luiz, João  Lyra, João Cláudio Moreno, dentre outros.

——-

Módulo: Instrumento Específico Percussão II 

Percussão corporal e investigação sonora. Explorar os sons orgânicos presentes no corpo e suas possibilidades.  Estimular as percepções dos sons que compõem o cotidiano através de jogos musicais.Introdução aos ritmos da cultura popular; apresentação teórica dos ritmos e instrumentos.Compartilhar trabalhos de grupos de  referência no contexto musical/cultural. Práticas percussivas nos ritmos: Maracatu , Afoxé e Ijexá Socialização dos Saberes. Promover a interação dos participantes da oficina através da ação cultural.

Prof. Amanda Fidelis: Musicista, cantora, percussionista e instrumentista. Com atuação no cenário musical cearense participando de grupos e coletivos, como: Cia. Bate Palmas e Batuque de Mulher. Já realizou diversas oficinas de percussão  com crianças e jovens na comunidade do Conjunto Palmeiras e em outras cidades. Sua pesquisa foca na representatividade e fortalecimento da presença feminina na música e no campo das artes. 

Prof. Elane Fidélis: Musicista, cantora, percussionista e instrumentista. Com atuação no cenário musical cearense participando de grupos e coletivos, como: Cia. Bate Palmas e Batuque de Mulher. Criadora do Ateliê Mística e colaboradora em diversos projetos de musicalização. 

Prof. Natyele Martins: Musicista, cantora, percussionista e instrumentista. Com atuação no cenário musical cearense participando de grupos e coletivos, como: Batuque de Mulher. 

Compartilhar:

Categorias

Comentários

0 Comentários

  |   Deixe um comentário »

Deixe o seu comentário!