Logo do Centro Cultural Bom Jardim

Centro Cultural Bom Jardim

É notório que a condição de pobreza fortemente presente no território do Grande Bom Jardim – GBJ, composto pelos bairros Canindezinho, Granja Lisboa, Bom Jardim, Granja Portugal e Siqueira, onde moram mais de 210 mil pessoas (de acordo com o Censo 2010 do IBGE) e agregam outros fatores: baixa renda, alto índice de violência, analfabetismo, trabalho informal, baixa autoestima e precarizado e o estigma negativo, por parte da sociedade em relação à área do GBJ, dentre outros.

São muitas as dimensões da pobreza e por isso se mostra necessária à proposição de ações que contemplem esses diversos aspectos, que combatam não só a violência associada à pobreza material, mas que nutra essas comunidades de meios para que saiam em definitivo dessa condição de pobreza. 

Imagem da área central do CCBJ
Entrada principal CCBJ com acesso à Praça Central e demais salas. (Foto: Darlene Andrade)

O Centro Cultural Bom Jardim – CCBJ é um bom exemplo de iniciativa que vem transformando a realidade deste território há 14 anos. Trata-se de um espaço voltado para formação artística, ação cultural e atenção social. Foi construído em 2006 com recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza – ECOP, por meio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – SECULT. Desde então, o espaço é gerido pelo Instituto Dragão do Mar – IDM. É considerado um marco nas políticas culturais cearenses. Trata‐se do primeiro espaço cultural público da cidade fora do corredor turístico e cultural de Fortaleza, sendo assim uma intervenção ímpar de democratização do acesso à cultura. 

Desde sua inauguração, no final do ano de 2006, o espaço recebe mais de 50 mil pessoas por ano e realiza mais de 100 mil atendimentos. O Centro tem mantido um diálogo intenso com a população do bairro, despertando vínculos afetivos com muitas gerações e famílias. Conta com a participação de agentes da cultura e representantes das comunidades em seu entorno, para partilha de avaliações, sugestões e debates sobre suas atividades, por meio de encontros mensais de Gestão Compartilhada.

Pesquisa, criação, formação, difusão, circulação, direitos humanos e fomento à cultura. Agregar tudo isso em ações e parcerias tem sido, portanto, a missão do CCBJ, através de uma diversificada programação que estimula a criação artística e difunde ações e produções culturais, pela democratização e descentralização do acesso à cultura.

Visão

“Ser referência como uma tecnologia social de formação em arte, cultura e economia criativa, desenvolvida no Grande Bom Jardim e podendo ser replicada em outras unidades da federação”.

Valores

  • Respeito à identidade, à memória, à cultura, à diversidade, à dinâmica e às peculiaridades locais das comunidades e dos indivíduos do Grande Bom Jardim;
  • Compromisso com a democracia, participação e transparência;
  • Direito à Cultura e à arte, com inovação e criatividade;
  • Contribuição para o desenvolvimento local sustentável e promoção dos Direitos Humanos.

Desafios

  • Proporcionar a formação e difusão em arte e cultura como fomentadora da economia da cultura e do desenvolvimento humano, favorecendo a descentralização das ações;
  • Fortalecer a comunicação, o intercâmbio de conhecimentos e o diálogo entre as diversas comunidades do GBJ, o poder público e outras instituições;
  • Ampliar, diversificar e garantir a continuidade das fontes de recursos para a manutenção do funcionamento regular do CCBJ, buscando sua inserção no organograma da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará – SECULT CE;
  • Construir estratégias de pertencimento, responsabilidades e cuidado comunitário em relação ao Centro Cultural.

Programas

Diagrama representando o fluxo de funcionamento do CCBJ.

Mapa

Imagem ilustrativa do mapa do CCBJ.