Logo do Centro Cultural Bom Jardim

CAPOEIRA É DESTAQUE NA CONVOCATÓRIA DE MANUTENÇÃO DOS GRUPOS ARTÍSTICOS: CONHEÇA A TRAJETÓRIA DA ASSOCIAÇÃO ZUMBI CAPOEIRA

05/12/2021

Textos: ASCOM.
Foto: Acervo do grupo e acervo do CCBJ.

“Capoeira é também filosofia de vida e dentro dessa ótica nós pregamos e prezamos pelo trabalho social, pela formação humana na verdade, dentro desta abertura trabalhamos para que nossos capoeiristas sejam seres humanos melhores, sejam críticos”. Essa é a fala de uma mulher potente, líder de um movimento cultural no território do Grande Bom Jardim e em outras periferias há quase quatro décadas: Mestra Carla.

O Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ), equipamento da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Ceará (SECULT), gerido em parceria com o Instituto Dragão do Mar (IDM) traz como destaque desta série de reportagens especiais sobre os grupos selecionados na Convocatória para Manutenção dos Grupos Artísticos 2021, a Associação Zumbi Capoeira em que Mestra Carla está à frente, desde 1983.

O CCBJ quer propagar a jornada e as ações dos grupos e nesta edição de hoje convida você para conhecer a Associação Zumbi Capoeira (AZC), do Centro Cultural Mestre Lula.

Foto do acervo do grupo

Sobre a AZC

A Associação Zumbi Capoeira – AZC foi fundada em 8 de agosto em 1983 e possui 7 núcleos distribuídos em Fortaleza nas seguintes comunidades: Bom Jardim, Granja Lisboa, Canindezinho, Jerusalém, Conjunto Esperança, Pirambú e Cristo Redentor.

Apresenta essa proposta de projeto intitulada “Associação Zumbi Capoeira: nesse chão se estende a mão”, tendo como foco aulas de capoeira e musicalidade, aulas de instrumentos de percussão utilizados na capoeira, aulas de coco, samba de roda, jongo, maculelê, rodas de conversa temáticas voltadas para a valorização dos direitos humanos, público LGBTQIAP+, mulheres e negros, atividades que ocorrem de forma continuada em sua dinâmica de funcionamento. A AZC atua apoiada em duas linhas norteadoras: a não violência contra a mulher e a promoção da diversidade.

A sede da AZC é localizada no território do Grande Bom Jardim, na Granja Lisboa. Atualmente, a sede passa por uma reforma e boa parte dos recursos obtidos com a seletiva na Convocatória do CCBJ, estão sendo destinados para as melhorias nos banheiros e no muro que circunda o salão onde ocorrem as aulas e outras ações promovidas pela AZC, pintura do piso, ornamentação da área de convivência, aquisição de lanches para os alunos, compra de material de limpeza e higiene, pagamento de água, luz, internet e promoção da festa das crianças.

“Nós contamos com o voluntariado, com toda doação a gente  paga as despesas básicas como água, luz, internet, aluguel e o resto a gente bota no bolso, porque a gente não consegue arrecadar tudo. E na pandemia foi ficando muito difícil nossos alunos são das periferias e eles também passaram por muitas privações e dificuldades. Nós começamos a nos inscrever nos editais que o CCBJ promove, que é muito importante para toda comunidade. Nós saímos de quase 30 alunos para 110 alunos hoje e atendemos de segunda a sexta. É grandioso o suporte que o CCBJ e a parceria que ele tem para além disso”, relata Mestra Carla.

“Nós estamos ali no grande Bom Jardim, desenvolvendo a capoeira, né! Só que a gente, não é só a capoeira. A gente consegue tá trazendo outras possibilidades, portanto atuamos muito nessa parte das danças, com as danças afro referenciadas como o jongo e o maculelê. Além disso, desenvolvemos uma pesquisa também com o coco: coco de balbino e samba de roda”, conta Mestra Carla ao falar dos processos formativos  desenvolvidos pela AZC.

Os processos formativos também se estendem pela música. “Temos as ações com a musicalidade. Conhecemos os instrumentos ao tocar e realizamos a construção de alguns deles. Esses momentos trazem muitas muitas possibilidades de rodas de conversas.

Mestra Carla. Foto: Acervo do grupo.

Quem é Mestra Carla

Carla Mara Henrique Silva (Mestra Carla), Mestra e presidenta da AZC, Centro Cultural Mestre Lula. Foi iniciada na Capoeira em 1984, em Fortaleza. É aluna de Luiz Carlos Silva, o Mestre Lula. Militante, feminista, está presidenta da Associação Zumbi Capoeira – AZC, onde orienta o Coletivo de Mulheres AZC e o Diversidade LGBTQ+AZC. Desenvolve coletivamente o projeto Congresso de Mulheres Capoeiristas de Fortaleza desde 2006. Juntamente com Mestra Vanda, realiza oficinas de Cultura de Paz/Capoeira. Representa o Conselho de Mestras e Mestres da Capoeira, integra o Coletivo de Mestras do Ceará, o Fórum das Mestras, o Fórum da Capoeira do Ceará, o GT Salvaguarda da Capoeira no Iphan/Ce, o Movimento da Rede Nacional de ações pela Capoeira e a Capoeira do Ceará no Comitê de Expressões Culturais Afro-brasileiras na Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, eleita pelo Fórum da Capoeira.

Vem para roda AZC:

As principais ações da AZC são em torno da capoeira, que acontece de segunda a sexta. “Nós temos turmas segunda, quarta, e sexta, nos horários de 18h – 19h, que treinam comigo, de 19 – 20h que treinam com o Mestre Lula e de 20h – 21h, treinam comigo”, explica Mestra Carla.

As duas turmas que são coordenadas por ela estão desenvolvendo processos de parcerias com CCBJ. “Na capoeira, acolhemos um público misto de meninas e meninos, de idade entre 7 e vai até 16, 17 anos. Dividimos dessa forma porque a gente acredita também que a capoeira tem que ser passado dessa forma, não por idade, mas por convívio, porque assim que a sociedade é, assim que a família é, é possível fazer a capoeira nesse formato”, garante Mestre Carla. 

Ela conta que a última turma, das 20h é uma turma de mulheres. “Nós temos quase 20 mulheres. 16 são participantes, bolsistas do CCBJ. São mulheres que trabalham, que são mães, avós, algumas que nunca fizeram atividade física, algumas que nunca fizeram capoeira ou que já fizeram na sua adolescência  e estão fazendo agora”, reforça Carla que também salienta que apesar desse número expressivo de mulheres, o salão é composto por alguns  homens que treinam nesta turma. “E que também dá super certo”, garante.

Às terças e quintas, acontecem outras duas turmas coordenadas pelo Robério, auxiliados pelos assistentes Jefferson, Sorriso e o Mateus. “São nossos auxiliares, que nos ajudam e estão em processo de formação também, para que no futuro eles possam tá assumindo turmas de também”, almeja Mestra Carla. Essas turmas são de alunos de idade menores, agrupando meninos e meninas de quatro anos de idade até seis e cada turma conta com 20 alunos (as).

Como participar da AZC:

Para participar basta ir na sede do Centro Cultural AZC Mestre Lula, fazer uma ficha de cadastro e escolher a turma.  “O trabalho é todo voluntário, não tem taxa de adesão e taxa de inscrição, e nem taxa mensal, nosso trabalho é dessa forma e basta chegar lá e fazer essa inscrição”, convida Mestra Carla.

Participe também como voluntário, envolva-se nas atividades e faça essa roda girar por mais tempo e sempre mantendo a qualidade de atendimento e oferta de suas ações.

Além da capoeira, a AZC tem os coletivos de mulheres e da diversidade. As reuniões e os encontros são virtuais e presenciais. Basta procurar na sede como entrar nos grupos.

O que inspira a AZC

“Nossa inspiração vem de dentro da casa mesmo. Inicialmente, vem do Mestre Everaldo que como é conhecido como Mestre, em que trabalhou a capoeira aqui em Fortaleza de uma forma muito particular. Ele conduzia o trabalho respeitando a individualidade dos alunos e alunas. Ele respeitava o movimento do corpo. E por isso, a AZC se tornou um grupo que chamava atenção porque as pessoas apesar de treinar em todas no mesmo lugar, tem uma particularidade diferente, tem desenvoltura diferentes e nós respeitamos isso”, comenta Mestra Carla. 

A outra grande referência da AZC é o Mestre Lula, que inicia seu trabalho dentro da comunidade do Pirambu. “Uma comunidade extremamente difícil na sua época e que enfrenta esse desafio ao passar uma boa parte da vida dele trabalhando dentro dessa comunidade com todas as diversidades, todas as dificuldades que ele consegue lidar com as diferenças das questões territoriais. Ele conseguia dialogar com todos eles e conseguia atender dando aulas em dias diferentes, horários diferentes, para  que esses grupos tivessem acesso. Respeito é isso, é olhar para dentro da comunidade lidar com essa diversidade e respeitar. Nossa cultura precisa disso. E está levando a cultura através da capoeira é  muito importante”, destaca Mestra Carla.

Mestra Carla reforça que é isso tudo que inspira e alimenta o dia a dia da AZC.  “É isso que alimenta, então se você for olhar os nossos espaços hoje, em Fortaleza, eles são todos periféricos. Nós estamos só dentro da periferia de Fortaleza  e eu acho que isso é missão né”.

A referência para o nome AZC também vem de grandes nomes como o Mestre Everaldo. “Subir com essa referência mesmo desse negro né que uniu vários outros e outras equipes aqui, é um honra louvor pois ele criou estratégias de sobrevivência, de busca de liberdade. Nesse sentido que a gente aqui, tem esse nome zumbi, que traz tão forte essa história e a gente tem orgulho e muita responsabilidade em trazer essa identidade”, comenta.

Convocatória Pública para Manutenção das Atividades Artísticas e Culturais de Grupos e Coletivos do Grande Bom Jardim

O Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ), equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (SECULT), gerido em parceria com o Instituto Dragão do Mar (IDM) realiza no ano de 2021 (Setembro a Dezembro) a Convocatória Pública para Manutenção das Atividades Artísticas e Culturais de Grupos e Coletivos. 

Em sua segunda edição a convocatória teve como objetivo selecionar 10 (dez) propostas de grupos e/ou coletivos artísticos nas suas mais diversas linguagens e manifestações, para a sustentabilidade dos trabalhos e estímulo ao aprimoramento profissional, como estratégia de enfrentamento aos impactos gerados pela pandemia COVID-19, colaborando para manutenção de suas atividades, através de concessão de ajuda de custo/bolsa-auxílio, por um período total de 04 (quatro) meses.

Mais Sobre a AZC 

Conheça mais na página Manutenção dos Grupos Culturais CCBJ, dentro do site do CCBJ. Lá você pode conhecer os dez grupos selecionados, inclusive a AZC, mais detalhes sobre os integrantes e o portfólio dos trabalhos.

Contatos: 

E-mail: azceventos@gmail.com

Endereço: Av. da Universidade, 3107 – Benfica, Fortaleza – CE, 60020-180

Telefone: (85) 98821-1477

Redes Sociais: www.instagran.com/barraazc.capoeira I www.facebook.com/AssocaçãoZumbiCapoeira

Compartilhar:

Notícias Relacionadas

Categorias

Comentários

5 Comentários

  |   Deixe um comentário »
  1. Valdo disse:

    Que trabalho lindo! Parabéns! Show!

  2. Jefferson disse:

    Orgulho em fazer parte desta família, Salve AZC, Salve Mestre Lula, Salve Mestra Carla.

  3. Lindete disse:

    Muita gratidão ao centro cultural Bom jardim CCBJ pelo reconhecimento…

  4. Yana Alencar disse:

    Trabalho lindo! Por mais seres humanos como vcs meus irmãos! Orgulho define ❤️

  5. Erika Sinfrônio disse:

    Trabalho lindo, que nós da motivos pra sorrir vendo a felicidade no rosto dos participantes, esporte salva vida e traz disciplina pra toda vida. Parabéns Mestra Carla e Mestre Lula

Deixe o seu comentário!